Antecipação de salário: vale a pena pedir?

Conheça mais sobre esse benefício que pode favorecer tanto o trabalhador, como as empresas, na questão financeira e até mesmo de produtividade.

Quem nunca precisou do dinheiro do salário adiantando para pagar uma conta inesperada, arcar com um imprevisto ou até mesmo para conseguir suprir alguma necessidade dentro de casa?

Conhecido também, no mercado de trabalho, como vale a antecipação de salário possibilita que o trabalhador receba parte do pagamento do mês seguinte de maneira antecipada e, sendo assim, a quantia é descontada no dia do pagamento oficial, tudo acordado entre a empresa e o funcionário que solicitou tal benefício.

Apesar de ser bastante comum, essa prática ainda não faz parte dos benefícios empresariais da maioria das companhias. Algo que deve mudar nos próximos anos, com a consolidação do salário sob demanda e outras formas de antecipação.

Vamos detalhar neste artigo quais são as maneiras que as empresas podem ceder este benefício aos trabalhadores e quais as vantagens dessa ação. Confira!

Como funciona a antecipação do salário?

As regras desse benefício dependem de como o sindicato da categoria do seu trabalho se posiciona quanto ao assunto, então se informe como pode usufruir desta vantagem e se ela é uma política da companhia que trabalha.

De maneira geral, o valor que é antecipado pode ser correspondente a 40% do salário do colaborador e a data escolhida para receber pode variar, mas seguem um padrão de receber entre os dias 15 ou 20 do mês.

A antecipação salarial pode ser solicitada pelo funcionário e também a empresa pode oferecer esse recurso (não é dever da instituição). 

Já existe uma lei respaldando este ato trabalhista?

Apesar de não estar oficialmente prevista em lei, o Artigo 462 do Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943, autoriza o desconto no salário quando se trata de adiantamento de maneira solicitada ou concedida de forma espontânea. 

Algumas empresas têm essa alternativa para ajudar os seus funcionários em casos de emergência como doenças, contas domésticas, entre outros motivos.

Quais cuidados tomar na antecipação do salário?

Como empresa, é preciso tomar cuidado para não perder o controle de gastos com os adiantamentos de salários, evitar que somente alguns recebam, registrar incorretamente valores e datas e principalmente, permitir que afete o financeiro da instituição.

Estes acontecimentos podem afetar os seus funcionários, os tornando desmotivados e menos produtivos.

E como colaborador, fique atento com a possibilidade dos riscos como falta de administração financeira, exigir o benefício da empresa e informar depois do prazo estipulado a antecipação.

Para fazer um acordo que seja produtivo para o colaborador e para a instituição na data combinada, existem quatro maneiras de recebimento, confira-as abaixo:

Vale

É feito através de depósito bancário ou dinheiro em espécie, conforme a empresa está habituada a entregar. Bem conhecida no mercado de trabalho para ajudar em alimentação ou transporte, por exemplo.

Salário sob demanda

A vantagem de beneficiar o funcionário porque ele recebe o salário pelas horas trabalhadas e caso precise do dinheiro para alguma emergência, ele consegue receber.

Ferramenta-convênio

A empresa oferece um cartão com vários benefícios e todos os gastos são direcionados às despesas domésticas.

Compensação de férias

Quando o trabalhador receber ⅓ do salário no período de férias. 

Porque adotar essa prática?

Precisa ser avaliado se compensa ou não ter esse ganho, portanto exige uma análise tanto da empresa, da sua parte financeira e organização administrativa, mas também do funcionário, com os gastos mensais e controle do dinheiro.    

Para entender os principais motivos para aplicar na empresa, vamos rever as vantagens:

  • Por suprir a necessidade do funcionário, mostra a valorização individual de cada funcionário 
  • Não interfere no caixa da empresa
  • É praticado diretamente na folha de pagamento
  • Ajuda ao colaborador não perder o controle da sua gestão financeira

Qual é o segredo para manter uma política de adiantamentos?

Pode-se dizer que o segredo é a gestão financeira, com a implantação de saídas de caixa e transferência para as quantias, porque é necessário usar a tecnologia ao nosso favor e, através de programas de computador, facilitar o armazenamento de dados e a melhor organização deles.

Tudo depende de como é a política da empresa na área de recursos humanos e financeiro, onde estas áreas de atuação dentro de uma empresa, tornam as regras e valores da empresa mais claros e definidos aos funcionários.

Vale a pena como empresa?

Por não ser obrigatório por lei, a empresa não é obrigada a ceder este tipo de benefício, porém percebe-se que é um caminho para desenvolver o relacionamento entre o funcionário e a corporação.

Outra vantagem de antecipar os salários é que a empresa pode se destacar em meio a outras, ser reconhecida no mercado com a habilidade de gestão de pessoas e logística de finanças corporativa com a atenção aos funcionários. 

O que muitas corporações têm muita dificuldade e preferem ser tradicionais nas questões trabalhistas.

Por isso, é preciso avaliar qual é o posicionamento do sindicato da área em que atua, fazer uma análise se a instituição tem recursos financeiros disponíveis e entender que não é uma obrigação de adquirir.

E para o colaborador?

Para os colaboradores, com a definição clara sobre a antecipação (que pode ser definido pela empresa ou não) juntamente com os valores da empresa, com certeza passam a ter mais confiança, maior produtividade, se tornam motivados e produtivos, pois sabem que a fundação está a sua disposição em casos de emergência ou pedidos esporádicos.

Uma das desvantagens para esta categoria é a falta de autocontrole financeiro, caso a pessoa não consiga ser organizada o suficiente, pode tornar-se uma verdadeira confusão de dívidas. 

Assim, vai ser preciso aprender a lidar com o salário dividido para as contas e dívidas necessárias e depois para as coisas supérfluas.

Então, a conclusão de que precisa-se ter a compreensão de que os dois lados precisam se beneficiar, porque ambos dependem de uma lei oficial sobre o assunto e por dependerem sempre um do outro.