quarta-feira, fevereiro 21

    Nesse momento, o planejamento se torna o maior aliado da economia

    Quem possui filhos sabe que o início do ano pode ser agitado. Férias, matrícula escolar, uniforme, livros didáticos e a tão temida lista de materiais aumentam as despesas e fazem com que os pais busquem alternativas para economizar. 

    O planejamento e a organização, o monitoramento de livros em oferta e o reaproveitamento dos materiais em bom estado são algumas das estratégias para diminuir a conta. Abaixo, você confere essas e mais dicas para economizar: 

    Aproveite os materiais que estão em bom estado

    É comum que a escola providencie novas listas de material todos os anos. Isso não quer dizer que é preciso comprar os materiais de forma integral novamente, no caso de itens em bom estado é possível reaproveitar. 

    Mochilas, estojos, fichários, réguas, apontadores e até mesmo lápis de cor podem ser reutilizados. A dica para os pais é fazer uma avaliação dos materiais que já existem em casa, separando aqueles que estão bem conservados e podem acompanhar os pequenos por mais um ano. 

    Avalie os itens e refaça a lista de materiais

    Após separar os materiais que podem ser reutilizados, é hora de avaliar novamente a lista. Todos os itens realmente precisam ser comprados agora? Será que a criança irá precisar de 6 lápis de escrever ao longo do ano?  Não está atualizado o suficiente o dicionário do ano anterior? 

    Depois de avaliar de forma crítica, é possível refazer a lista, excluindo os itens que serão reutilizados e adequando aqueles que não precisam ser comprados imediatamente. Na dúvida, a dica é entrar em contato com a escola e se informar sobre o planejamento anual. 

    Monitore os preços online 

    Com a lista final em mãos, já é possível dar início às pesquisas de preço. Recorrendo às lojas online, não é preciso nem sair de casa para fazer um orçamento e comparar itens. A dica para aumentar a economia é ativar o alerta de ofertas. Assim, sempre que um item da lista estiver em promoção, você será notificado.

    Volta às aulas como se organizar
    Volta às aulas como se organizar

    Compare as opções de lojas físicas

    Quem deseja fazer as compras presencialmente, também deve se programar. Pesquisar a média de preço das lojas, a localização e a disponibilidade de materiais pode ajudar na economia e evita que os pais percam a viagem. 

    A dica é buscar por estabelecimentos que fiquem em regiões movimentadas. Assim, é possível aproveitar o dia para ir em mais de uma loja e escolher os melhores preços. 

    Avalie a possibilidade de comprar em atacado

    Algumas lojas de material oferecem a possibilidade de comprar em atacado por um preço menor. Para aproveitar essa vantagem, é possível se juntar a outros pais na hora da compra ou ainda buscar lojas que trabalham com o atacado de preço mínimo, e não de quantidade. Dessa forma, é possível garantir os materiais por um valor mais baixo. 

    Fique de olho nos sebos e feiras 

    Os livros podem ser a parte mais cara da lista de materiais, por isso é importante avaliar algumas alternativas. Nos sebos e feiras, é possível encontrar exemplares em bom estado por um valor mais em conta. A dica é ir nos estabelecimentos físicos para garantir que o material esteja bem conservado.

    Consulte diferentes formas de pagamento

    Além de economizar durante a escolha dos materiais, também é possível economizar no caixa através da forma de pagamento. Na hora de acertar a conta, a dica é consultar se pagamentos à vista possuem descontos ou se é possível oferecer alguma vantagem de acordo com o valor gasto. 

    Escolha as melhores datas 

    A compra dos materiais escolares acontece anualmente, por isso já é possível se preparar para o ano seguinte. Os pais podem fazer isso economizando determinada quantia por mês ou ainda comprando os materiais aos poucos ao longo do ano, aproveitando descontos e promoções. 

    Compartilhe.
    Avatar de Nathan López Bezerra

    Formado em Publicidade e Propaganda pela UFG, Nathan começou sua carreira como design freelancer e depois entrou em uma agência em Goiânia. Foi designer gráfico e um dos pensadores no uso de drones em filmagens no estado de Goiás. Hoje em dia, se dedica a dar consultorias para empresas que querem fortalecer seu marketing.