Close

O que esperar da prova de títulos para Medicina Intensiva

prova de títulos para Medicina Intensiva

Uma das áreas da medicina que mais cresceu nos últimos dois anos foi a de especialistas intensivistas. Em outras palavras, são os médicos que irão trabalhar com cuidados intensivos, geralmente dedicados em Centros de Tratamento Intensivo (CTI) ou Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Esses profissionais assumem a responsabilidade de cuidar e tratar os pacientes que apresentam quadro de saúde delicado, com risco de perder a vida. Para conseguir licença, o profissional deve prestar prova de títulos para Medicina Intensiva.

Por que é preciso fazer prova de títulos para Medicina Intensiva?

Primeiramente, saiba que a Medicina Intensiva é uma das especialidades mais novas dentro da área médica. Seu surgimento data no início do século passado, sendo criada para cuidar dos pacientes em estado crítico, os quais precisam de tecnologias para o suporte da vida. Essas pessoas podem apresentar falência de órgãos e o médico intensivista é o líder de uma equipe multidisciplinar que atua dentro da UTI.

Este é o profissional que vai fazer a mediação entre diversos profissionais da saúde para oferecer o melhor cuidado possível para cada situação. Ele também será o interlocutor entre o paciente e a família, que muitas vezes não pode permanecer no mesmo ambiente, por questões de segurança.

A partir daí já dá para ter uma noção do quão desgastante e cheia de responsabilidades é a rotina do médico que trabalha em UTIs. Por isso, é necessário que haja uma avaliação para medir o grau de preparo de um aluno de medicina ou profissional da área que queira atuar neste ambiente tão complexo. Esse é o objetivo da prova de títulos para Medicina Intensiva.

O que é cobrado em uma prova de títulos para Medicina Intensiva

Antes de partir para as cobranças da prova, é preciso aprofundar as questões pertinentes sobre a rotina de um médico intensivista. Afinal, o dia de trabalho é movimentado e repleto de desafios. Logo de cara, o médico precisa fazer várias visitas aos pacientes internados na unidade. Cada um exige revisão do quadro clínico e a elaboração de um plano de medidas para tratamento.

O médico também deve se reunir com toda a equipe para discutir os caminhos que serão tomados. Alguns dos procedimentos mais utilizados dentro de uma UTI são:

– Intubação endotraqueal;

– Traqueostomia percutânea;

– Ventilação mecânica;

– Ultrassonografia à beira do leito;

– Cateterização arterial, punção de veia central e cateterização de artéria pulmonar;

– Inserção de drenos torácicos;

– Balão intra-aórtico, marcapasso temporário e ECMO.

No entanto, o profissional deve estar preparado para agir rápido em qualquer situação que seja demandado. Há casos de cirurgias urgentes que precisam ser realizadas e o médico intensivista deve ter uma base teórica e prática que aborda todas essas questões. Basicamente, tudo o que existe de complexidade médica faz parte do trabalho de um intensivista.

Logo, a abordagem da prova de títulos para Medicina Intensiva merece um tratamento especial. O mais indicado é que os candidatos se preparem por meio de cursos que aprofundem os conhecimentos e ampliem a capacidade técnica do médico. Qualquer outro profissional que queira trabalhar na área também precisa passar por um treinamento e avaliação padrão.

scroll to top