Manutenção de freios em carros: quando fazer?

É fato que a segurança do motorista e seus passageiros depende diretamente dos freios, sendo que a manutenção periódica é fundamental para garantir a proteção de todos. Inclusive, esse tipo de sistema exige uma atenção especial tanto ao fazer a revisão quanto durante o uso. No entanto, sabemos que as práticas adequadas e manutenções não estão claras para todos e, justamente por isso, preparamos o post de hoje para te ajudar. Então, não deixe de acompanhar até o fim e veja quando fazer a manutenção de freios. 

Importância da manutenção de freios

Antes de tudo, é importante deixar claro que a manutenção de freios deve ser feita de maneira preventiva e não apenas quando há algum problema identificado. Isso porque, quando você já consegue perceber barulhos ou dificuldades, a situação já está mais grave do que pensa. 

Portanto, com o avanço da tecnologia, os sistemas de freio dos automóveis vêm sendo atualizados pelas montadoras. Justamente por isso, houve uma necessidade maior de realizar a manutenção preventiva dos freios, pois assim é possível aumentar a durabilidade do veículo, evitando quebras, além de garantir seu funcionamento seguro. Afinal, qualquer falha na frenagem pode acarretar em acidentes graves e fatais. 

Portanto, quanto antes os problemas forem identificados e resolvidos, mais seguro você e os passageiros ficarão. Mas, além disso, também é válido destacar que a antecipação de defeitos reduz as despesas com o automóvel, visto que quanto maior for o desgaste, mais peças deverão ser trocadas. 

Quais são os componentes que fazem parte do sistema de freios?

Por mais que você tenha um profissional de confiança responsável pela manutenção dos freios de seu automóvel, é importante conhecer, minimamente, quais são os principais componentes e, assim, compreender melhor o funcionamento. Confira abaixo:

  • Disco de freio: localizado nas rodas dianteiras e traseiras;
  • Pastilha de freio: comprime o disco e faz a roda parar de girar;
  • Pinça de freio: local em que a pastilha fica presa e é pressionada junto ao disco;
  • Cilindro mestre: envia o fluido de freio durante a frenagem das rodas;
  • Lona de freio: toca no tambor para parar a roda traseira;
  • Cilindro de roda: aciona o freio traseiro, caso o sistema utilize tambores.

Todas as peças citadas acima podem compor o sistema de freios de seu carro. Dessa maneira, quando ouvir um som estranho ao frear ou notar qualquer coisa que não pareça comum, terá maior noção sobre o que precisa ser trocado pelo mecânico durante a manutenção. 

Quando realizar a manutenção dos freios?

É importante lembrar que cada fabricante tem uma recomendação específica sobre quando realizar a manutenção preventiva dos componentes que fazer parte do sistema de freios. Sendo assim, é importante sempre checar o manual do proprietário, a fim de garantir informações mais precisas e seguras de acordo com o seu carro em específico

Além disso, os materiais que compõe o sistema têm diferentes graus de desgaste. Ou seja, cada um irá precisar de reparo ou completa substituição em diferentes momentos. Mas, em boa parte dos casos, a média de manutenção ocorre a cada 10 mil quilômetros rodados. No entanto, isso é apenas uma noção básica, pois algumas especificidades relativas à utilização do automóvel podem alterar essa estimativa. 

Outro ponto importante é que, se houver qualquer mau funcionamento em qualquer um dos itens, é importante contar com um profissional especializado, pois assim é possível determinar se realmente será necessário realizar a troca. A pastilha e o disco do freio, de maneira geral, exigem maior atenção quando as revisões periódicas são realizadas. 

Por fim, existem alguns sinais que mostram que os freios não estão funcionando como deveriam, devendo ficar atento a ruídos, dificuldade para frear, frenagem longa, trepidações e luzes acesas no painel. 

Como identificar problemas com os freios?

Como falamos, ao dirigir o carro, é importante ficar atento a alguns sinais que ele pode apresentar, indicando problemas nos sistemas de freios. Confira abaixo: 

    • Trepidação no volante: Esse pode ser um sinal de disco de freio empenado; 
  • Barulho de “ferro com ferro”: Indica que as pastilhas precisam ser substituídas, sendo essenciais para garantir a eficiência da frenagem;
  • Pedal de freio baixo: Isso pode acontecer pela falta de fluido, geralmente indicada no painel, ou em virtude de algum problema com o servo ou até mesmo o cilindro mestre;
  • Pedais enrijecidos: Se tiver dificuldade em pisar no pedal, isso pode estar relacionado ao servo freio. Portanto, esse componente precisa ser substituído, algo que é feito após rodar entre 120 e 200 mil quilômetros. 

Então, como você viu, a manutenção periódica dos freios é fundamental para garantir a segurança do motorista e seus passageiros. Ainda que não haja um tempo específico, é importante observar o manual do proprietário, a fim de garantir a manutenção preventiva, além de ficar atento em sinais que o carro possa apresentar durante o uso.

Comentários estão fechados.