AVC: entenda o que é e os cuidados necessários para prevenir

Você sabe o que é AVC? É vital entender as particularidades desse acidente e perceber o que o causa, pois isso permite que saibamos como evitá-lo. Afinal, a prevenção é muito melhor do que tentar sobreviver a uma situação que, na maior parte das vezes, é fatal. Portanto, o conhecimento geral sobre o assunto ajuda a reduzir as vítimas e, claro, a intensidade do problema.

Hoje em dia, o Brasil vive uma situação de muita intensidade de doenças cardiovasculares. Esses problemas são a causa número 1 de morte no país, com crescimento de 132% durante a pandemia do novo coronavírus. Ou seja: a situação já era grave e piorou ainda mais durante os últimos meses. Portanto, é vital entender o que é AVC para saber como se proteger dessa situação.

A parte positiva é que existem várias ações que podem ser colocadas em prática para você se proteger e prevenir esse problema. Basta saber o que é AVC e quais os cuidados tomar. Quer aprender? Então siga a leitura do artigo abaixo!

O que é AVC? Entenda agora!

Um Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma ocorrência em que há interrupção (ou redução significativa) de irrigação de sangue no cérebro humano. Normalmente, isso acontece por dois motivos: ou houve um entupimento de vasos sanguíneos em alguma artéria da região ou houve um vazamento de sangue por rompimento de alguma artéria na área.

Quando um AVC acontece, a área do cérebro que foi afetada deixa de receber oxigênio e nutrientes (que são levados pelo sangue). Por causa disso, tem suas funções parcial ou totalmente comprometidas. De certa forma, é como um motor que ficou sem combustível e não consegue funcionar. Dentre os maiores problemas dessa situação estão as sequelas permanentes após a ausência de oxigênio e nutrientes no cérebro ou até mesmo a morte.

Quais os fatores de risco para um AVC?

Existem várias situações que aumentam as probabilidades de ocorrer um AVC. Por um lado, essa é uma doença que costuma acontecer em pessoas com mais idade, uma vez que o sistema cardiovascular perde flexibilidade e se desgasta muito com o tempo. No entanto, ela é uma doença social também, estando intimamente ligada a hábitos específicos do nosso dia a dia. Com base nisso, é possível dizer que existem certas ações que são fatores de risco para gerar AVCs. Por exemplo:

  • Falta de exercícios físicos;
  • Fumar;
  • Beber álcool;
  • Estar acima do peso.

Além dos hábitos, existem outros fatores relacionados ao seu próprio corpo. São eles:

  • Colesterol alto;
  • Hipertensão arterial;
  • Histórico de AVC;
  • Histórico de outras doenças vasculares.

Como prevenir essa situação?

A prevenção de AVCs depende de um estilo de vida mais saudável. Mesmo pessoas com alto histórico de problemas do tipo na família podem prevenir completamente a situação caso tenham um estilo de vida muito mais saudável.

A começar, é essencial ter uma boa alimentação. Isso porque o sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para o AVC. Para isso, é importante controlar a ingestão calórica e os tipos de alimentos consumidos. Verduras, legumes e frutas são sempre melhores do que alimentos com muita gordura. Aliás, é vital controlar bem a quantidade de gordura ingerida, pois ela é um dos principais elementos responsáveis por entupir as artérias. Alimentos com muito sal, conservantes e açúcares também devem ser evitados.

Além desse cuidado com a alimentação, existem outras duas substâncias que devem ser evitadas: o álcool e o cigarro, já que eles aumentam os riscos de AVC.

Mas só a alimentação não é o suficiente. É importante também ter o hábito de praticar exercícios físicos com frequência, especialmente os exercícios aeróbicos, que fortalecem o sistema cardiovascular. Nesse caso, é importante praticar natação, corrida, ciclismo ou caminhadas. A OMS recomenda pelo menos 300 minutos de exercícios todas as semanas.

Outro hábito importante que deve ser abordado na sua vida é o de controlar mais os riscos de AVC. Por exemplo, é importante que um médico acompanhe frequentemente os seus sinais de saúde para ver se existem elementos de risco em seu organismo. Por exemplo, é importante monitorar a sua pressão arterial para ver se ela não está acima do ideal, além de ver a glicose e o colesterol também. Esse cuidado de monitoramento é importante para identificar quando as coisas começam a ficar mais arriscadas e poder agir para resolver o problema.

Agora que você entendeu o que é AVC, é hora de colocar esse conhecimento em prática e adotar hábitos de vida mais saudáveis para evitar sofrer essa situação em sua vida. É claro que depende muito também de cada pessoa e sua genética. Afinal, alguns podem se cuidar muito e ainda sofrer com o problema. No entanto, são casos muito raros. A regra é que, quem se previne, consegue evitar a situação.

Gostou do conteúdo? Então comente abaixo dizendo quais cuidados com o seu coração que você toma!